sexta-feira, 4 de julho de 2008

Quer um bracinho aí?

Braços robóticos são extremamente úteis. Um braço bem projetado é capaz de manipular objetos com precisão até maior que a de um ser humano. Isso é evidente nas cirurgias que utilizam braços robóticos, em que o cirurgião pode estar até em outro local, controlando o braço através de vídeo.

Braço robótico sendo utilizado em uma cirurgia

A indústria automotiva foi uma das primeiras a incorporar braços robóticos em suas linhas de montagem, aumentando a precisão de soldas, por exemplo, e a produção da fábrica. Na indústria da computação, robôs são responsáveis por executar microsoldas nos chips e placas eletrônicas, trabalho praticamente impossível para um ser humano.


A construção de braços envolve um e
studo para determinar quantos graus de liberdade serão necessários durante sua utilização. Cada grau de liberdade representa uma direção em que o braço robótico pode se movimentar. Esses graus de liberdade também são determinados pelo tipo de juntas utilizadas na construção do braço robótico.


Cada segmento do braço deve ser acionado por um motor, para que execute movimento de rotação em relação aos demais segmentos. O número de graus de liberdade de um braço é igual ao número de juntas existentes.

As juntas podem ser classificadas nos seguintes grupos:

  • Deslizante


  • Rotação


  • Bola e encaixe

Desafio: o braço humano possui quantos graus de liberdade?


2 comentários:

Lucas~ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas~ disse...

correção são 7 angulos de liberdade,que contém o ombro como uma bola de encaixe, o cotovelo como uma junta e o pulso como outra bola de encaixe. Somando todos os angulos dão 7.