terça-feira, 1 de julho de 2008

A primeira vítima fatal de um robô

"1ª lei: Um robô não pode ferir um ser humano ou, por omissão, permitir que um ser humano sofra algum mal..

2ª lei: Um robô deve obedecer as ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens contrariem a Primeira Lei.

3ª lei: Um robô deve proteger sua própria existência desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira e Segunda Leis."
(As três leis da robótica, Isaac Asimov)

As três leis da robótica citadas acima foram criadas pelo escritor Isaac Asimov, autor de diversas histórias de ficção científica envolvendo robôs (como Eu, robô). Tais leis já foram bastante discutidas e polemizadas, por bastante tempo. Mas, afinal, um robô pode realmente vir a matar um ser humano?

Em 25 de janeiro de 1979, Robert Williams, operário da Ford Motor Company, trabalhando em Michigan, tornando-se a primeira vítima fatal de um robô. Williams fazia a revisão de partes de um robô, utilizado na linha de montagem da fábrica, que estava funcionando muito devagar, quando foi atingido na cabeça pelo braço robótico. Em seguida, o robô continuou trbalhando e o corpo de Williams foi descoberto por outros operários, ao perceberem que o colega não retornara da revisão.

Desde então, cerca de 10 acidentes fatais envolveram robôs industriais, em locais distintos.

Asimov supunha robôs inteligentes o suficiente para distinguir o bem do mal, o que ainda não é possível com a tecnologia atual. A construção de robôs inteligentes certamente levará a novas discussões e criação de um código de ética que controle essa manufatura, pelo "potencial perigo" que essa tecnologia representaria.

Na sua opinião, o que seria um robô inteligente? Os robôs atuais podem ser considerados inteligentes?

2 comentários:

Lucas~ disse...

robos inteligentes são aqueles em que tudo oq se manda ele fazer ele opera. E os robôs de hoje em dia podem ser considerados inteligentes, mas não perfeitos porque pode haver defeitos ja na montagem do robô.

Henrique disse...

Exato, como um erro de cálculo, ou algo que desencaixou... Eles são inteligente, eles fazem exatamente o que está na programação.